O DIRETÓRIO INDUSTRIAL
Contacte diretamente com as empresas

Novidade: Equipamentos Linde com proteção ATEX

  • 16/01/2015, Alcochete (Lisboa)

  • Os novos porta-paletes elétricos Linde T16 EX - Linde T20 EX e o preparador de encomendas de nível médio V10 EX com proteção ATEX para a zona 2/22 cumprem com as normas de segurança mais restritivas.

 

Peça informação e/ou orçamento

 

Não foi possível enviar a informação devido a um erroNão foi possível enviar parte da informação.
Por favor, tente de novo
Por favor, tente de novo

Sempre que exista um risco de explosão na atmosfera, mesmo que seja por um breve período, devem utilizar-se equipamentos com proteção ATEX para evitar situações de ignição produzidas por superfícies quentes, faíscas ou eletricidade estática. Os fabricantes e as empresas que as utilizam devem respeitar uma grande variedade de diretivas e normas que conformam a base legal correspondente. Entre as mais destacadas encontram-se a diretiva europeia 94/9/CE relativa às máquinas para atmosferas explosivas (ATEX 95), que será substituída pela diretiva 2014/34/UE nos próximos dois anos, assim como o Decreto Lei 236/2003 de aplicação obrigatória em Portugal. Esta última norma discrimina áreas em risco de explosão por zonas de acordo com a probabilidade de desenvolvimento de uma atmosfera potencialmente explosiva.

Como uma resposta às necessidades dos seus clientes, a Proplan Transport- und Lagersysteme GmbH (Proplan), filial da Linde Material Handling e fabricante líder de equipamentos com proteção ATEX, amplia a sua gama de modelos antideflagrantes para as zonas 2/22. Entre os novos modelos da gama, incluem-se os porta-paletes elétricos Linde T16 EX - Linde T20 EX com capacidade de carga entre 1,6 e 2,0 toneladas, assim como o preparador de encomendas de nível médio V10 EX, que oferece uma capacidade de carga de uma tonelada.

Em primeiro lugar, segurança

Classificação das zonas com risco de explosão

  • A zona 0 abrange áreas onde exista risco constante de explosão na atmosfera, ou onde este risco é frequente ou se produz durante longos períodos de tempo. Nestas áreas, não se utilizam empilhadores.
  • Nas zonas 1 (gases) e 21 (poeiras), o ar mistura-se apenas ocasionalmente com gases inflamáveis, vapores e névoas, ou poeira inflamável presente no ar durante o funcionamento habitual.
  • Nas zonas 2 (gases) e 22 (poeiras), tais misturas não são habituais ou ocorrem apenas durante um curto período de tempo.

Qualquer equipamento que se utilize em zonas ATEX 1/21 necessita de um certificado tipo CE para componentes relacionados com a segurança. Estes certificados são emitidos por organismos designados como o Instituto nacional de Metrologia da República Federal da Alemanha (PTB), INERIS ou a Associação de Inspeção Técnica alemã (TÜV). No entanto, no caso de empilhadores para zonas ATEX 2/22, o sistema de gestão de qualidade do fabricante (em consonância com a norma EN ISO 9001) é suficiente para cumprir este requisito.

Para garantir que os clientes das indústrias farmacêuticas, químicas e alimentares possam confiar nos equipamentos com proteção ATEX Linde, a companhia é muito restritiva no que se refere à aplicação das disposições estabelecidas para zonas 2/22. Sendo uma empresa certificada em conformidade com a diretiva europeia 94/9/CE relativa às máquinas, a Proplan utiliza a certificação para empilhadores para zona 1/21 como guia quando se trata de empilhadores para zonas 2/22. Além disso, de forma independente, também realiza ensaios comparativos em protótipos, explica Herbert Kunkel, Diretor executivo da Proplan.

A Proplan desenvolve componentes como os módulos de potência, a envolvente do display, a unidade de controlo e ignição e o interruptor de arranque em conformidade com os requisitos das normas EN 60079 ou EN 60079. No mesmo sentido, realiza ensaios com estes componentes em conjunto com a TÜV Rheinland. Para realizar ensaios no equipamento, os componentes são envelhecidos num ensaio de resistência realizado numa câmara climática calibrada e, depois, submetem-se a um ensaio de fuga e a outro de impacto. Só depois do componente ultrapassar eficazmente estes ensaios, obtém uma certificação de conformidade. Em caso algum a relação custo-eficiência deve colocar em risco a segurança, refere Kunkel. Na Proplan aproveitamos os benefícios relativamente a custos e qualidade resultantes do processo de produção em série da Linde e trabalhamos em conjunto durante o processo de desenvolvimento de produtos, envolvendo-nos desde o primeiro momento. Adotando este enfoque, podemos garantir que os nossos produtos são ao mesmo tempo seguros e económicos."

Além dos equipamentos para zonas 1/21, que são seguros inclusivamente em circunstâncias excecionais, nos últimos anos também cresceu a procura por equipamentos para zonas 2/22, com requisitos de segurança num funcionamento habitual. Desta forma, a Linde está a ampliar a sua gama neste segmento. Kunkel prossegue: Estamos a adaptar-nos às novas e mutáveis necessidades que nos colocam os nossos clientes. Mais do que isso, estamos convencidos que, graças às normas de segurança e à grande qualidade que oferecem os nossos equipamentos para zonas 2/22, assim como o facto destes estarem próximos da produção em série, também conseguiremos uma posição especial no mercado com estes produtos.

Novidade: Porta-paletes Linde T16 - T20 EX e preparador de encomendas V10 EX

Os novos modelos de porta-paletes elétricos Linde T16 EX - T20 EX com certificado geral de empilhadores para zonas 2/22 representam uma gama completa de modelos que se podem utilizar em diversas áreas do armazém e das unidades de produção. Estes equipamentos antideflagrantes competem com os seus homólogos de produção em série relativamente a ergonomia, rendimento e comodidade. Além disso, estão concebidos para albergar capacidades de bateria de 150 Ah a 375 Ah. Nos modelos EX, o motor de corrente alterna, o travão e os sensores de velocidade e temperatura estão protegidos por um invólucro. Além disso, a válvula solenoide e o invólucro de controlo estão selados com um composto fundido. Tanto uma declaração de conformidade adequada como uma declaração por parte do fabricante servem para demonstrar que se tomaram todas as medidas de segurança de acordo com a normativa.

A unidade de segurança Proplan (PSU) supervisiona todas as funções elétricas e garante que os dispositivos se possam utilizar de forma segura em zonas 2/22. As caraterísticas oferecidas pela unidade PSU incluem um sistema de supervisão da temperatura redundante, assim como um sistema para supervisionar o sensor de temperatura no caso de curto-circuitos e roturas de cabo. Esta unidade também proporciona funções para supervisionar a tensão de controlo e garantir que os contactores principais funcionam corretamente. Incluídas na unidade PSU encontram-se as barreiras Zener com um fusível de rearranque automático para circuitos de intensidade em conformidade com o tipo de proteção contra faíscas "Ex-i" (segurança intrínseca). Como componente que pode produzir faíscas, o motor de elevação encontra-se num invólucro resistente à pressão, como é o caso para zonas 1/21. Além disso, as conexões de fixação (solução com conectores) eliminaram-se por completo. Inclusivamente a documentação tem o mesmo padrão de qualidade que os equipamentos Linde EX para zonas 1/21. Todos os documentos se armazenam de forma centralizada na Proplan.

As mesmas normas de segurança aplicam-se ao novo preparador de encomendas de nível médio Linde V10 para zonas 2/22, que conta com uma altura máxima de elevação de 6.350 mm e oferece uma plataforma de condutor desacoplada, uma consola de comando na zona lateral, assim como um mastro de elevação com excelente visibilidade.

Telefone
Clique aqui para ver telefone
Página web
Visite o site da empresa
E-mail
Enviar E-mail
Morada Zona Industrial do Passil, Lote 102
2890-182  Alcochete
Lisboa - PORTUGAL
(Clique aqui para ver o mapa)