O DIRETÓRIO INDUSTRIAL
Contacte diretamente com as empresas

SAP anuncia resultados do primeiro trimestre de 2010

  • 29/04/2010, Lisboa

  • A Multinacional Alemã começa o ano a crescer. A SAP AG (NYSE: SAP) anunciou hoje os resultados financeiros preliminares para o primeiro trimestre de 2010, que terminou a 31 de Março de 2010.
  • Empresa: SAP Portugal

 

A SAP AG (NYSE: SAP) anunciou hoje os resultados financeiros preliminares para o primeiro trimestre de 2010, que terminou a 31 de Março de 2010.

Destaques Financeiros

Receitas

As receitas IFRS de software e de serviços relacionados com software foram de €1.95 mil milhões (2009: €1.74 mil milhões), um aumento de 12%. As receitas Non-IFRS de software e de serviços relacionados com software foram de €1.95 mil milhões (2009: €1.75 mil milhões), um aumento de 11% (10% numa taxa de câmbio constante).

  • As receitas IFRS de software foram de €464 milhões (2009: €418 milhões), um aumento de 11% (7% numa taxa de câmbio constante).
  • As receitas IFRS totais foram de €2.51 mil milhões (2009: €2.40 mil milhões), um aumento de 5%. As receitas Non-IFRS totais foram de €2.51 mil milhões (2009: €2.41 mil milhões), um aumento de 4% (3% numa taxa de câmbio constante).

Lucros

  • O lucro operacional IFRS foi de €557 milhões (2009: €307 milhões), um aumento de 81%. O lucro operacional Non-IFRS foi de €612 milhões (2009: €396 milhões), um aumento de 55% (47% numa taxa de câmbio constante). No primeiro trimestre de 2009, o lucro operacional IFRS foi afectado por custos de reestruturação no valor de €166 milhões (Non-IFRS: €160 milhões), resultante de uma redução no número de posições.
  • A margem operacional IFRS foi de 22.2% (2009: 12.8%), um aumento de 9.4 pontos percentuais. A margem operacional Non-IFRS foi de 24.4% (2009: 16.4%), ou 23.6% com uma taxa de câmbio constante, um aumento de 8.0 pontos percentuais (7.2 pontos percentuais com uma taxa de câmbio constante). Em oposição ao período homólogo de 2009, o primeiro trimestre de 2010 não foi afectado por gastos de reestruturação, que tinham, no primeiro trimestre de 2009, afectado negativamente a margem operacional IFRS e Non-IFRS em 6.9 pontos percentuais e 6.6 pontos percentuais, respectivamente. No entanto, as reorganizações no primeiro trimestre de 2010 resultaram em despesas de indemnização no valor de €27 milhões e despesas de aluguer de espaço não utilizado, no valor de €9 milhões, que atingiram negativamente a margem operacional IFRS e Non-IFRS em 1.4 pontos percentuais.

Comentários da Direcção

"Estamos muito animados com o forte momento actual e com o nosso regresso ao crescimento no primeiro trimestre," afirmou Werner Brandt, CFO da SAP. "Um desempenho sólido de primeira qualidade, em conjunto com o aumento da margem operacional, coloca-nos no caminho certo para alcançarmos o nosso objectivo financeiro de crescimento sustentado a longo prazo."

Bill McDermott, co-CEO da SAP acrescenta, "O crescimento do primeiro trimestre foi possível graças ao forte desempenho de todas as nossas operações, quer das que estão presentes nos mercados já estabelecidos quer das que operam em mercados emergentes de acelerado crescimento. Registámos fortes resultados devido ao rápido aumento da procura pelas nossas soluções SAP BusinessObjects, bem como no nosso negócio dedicado ao segmento das pequenas e médias empresas. Estamos igualmente satisfeitos com o nosso forte desempenho nas indústrias estratégicas, já que os clientes estão a voltar a utilizar SAP para que os seus negócios evoluam melhor."

"À medida que melhora o contexto e os clientes começam a investir no seu crescimento outra vez, a SAP encontra-se extremamente bem posicionada graças ao seu consistente e abrangente portefólio de produtos, que apoiam os processos de negócio e permitem uma análise profunda de cada negócio", afirma Jim Hagemann Snabe, co-CEO da SAP. "Temos uma habilidade excepcional para inovar em tecnologia e soluções que funcionam perfeitamente em conjunto, independentemente de serem instaladas, utilizadas sob pedido ou num dispositivo móvel."


Cash Flow
O cash flow operacional foi de €772 milhões (2009: €1.39 mil milhões), um decréscimo de 44%. O cash flow operacional no primeiro trimestre de 2010 foi inferior ao do ano anterior, devido principalmente à nossa decisão de atrasar a facturação das taxas de manutenção de 2010 aos nossos clientes, até que estes comunicassem se iriam escolher a solução SAP Enterprise Support ou SAP Standard Support - uma opção introduzida no âmbito de um modelo bi-partido no que respeita ao suporte disponibilizado pela SAP. O free cash flow foi de €715 milhões (2009: €1.34 mil milhões), um decréscimo de 46%. O free cash flow correspondeu a 28% do total de receitas (2009: 56%). Em 31 de Março de 2010, a SAP tinha uma liquidez total de €3.00 mil milhões (31 de Dezembro de 2009: €2.28 mil milhões), que inclui dinheiro em caixa e equivalentes de dinheiro, dinheiro restrito e investimentos de curto prazo. Em 31 de Março de 2010, a liquidez, definida como a liquidez total do grupo menos endividamento bancário era de €2.30 mil milhões.

Previsões de Negócio 2010

A SAP apresenta as seguintes perspectivas para o ano de 2010, que se mantêm inalteradas desde as emitidas em 27 de Janeiro de 2010:

  • A empresa espera que as receitas Non-IFRS de 2010 para software e serviços relacionados com software sofram um aumento de 4% a 8%, com uma taxa de câmbio constante (2009: €8.2 mil milhões).
  • A empresa espera que em 2010 a margem operacional Non-IFRS se situe entre os 30% e 31%, à taxa de câmbio em vigor (2009: 27.4%).
  • A empresa projecta uma taxa efectiva de imposto de 27,5% a 28,5% (baseada no IFRS) para 2010 (2009: 28.1%).


Sobre a SAP

A SAP é o fornecedor líder mundial de software de gestão empresarial, que disponibiliza aplicações e serviços que permitem às organizações, de todas as dimensões e sectores de actividade, tornarem-se em negócios melhor geridos. Com cerca de 95.000 clientes em mais de 120 países, a empresa está cotada em várias bolsas, incluindo a bolsa de Frankfurt e NYSE, com o símbolo "SAP".