O DIRETÓRIO INDUSTRIAL
Contacte diretamente com as empresas

SAP anuncia resultados do Segundo Trimestre de 2009

  • 29/07/2009, Lisboa

  • A SAP continua a demonstrar um forte crescimento das suas margens, aumentando a previsão, para o ano de 2009, referente à sua margem operacional Non-GAAP
  • Empresa: SAP Portugal

 
A SAP AG anunciou hoje os resultados financeiros preliminares para o segundo trimestre do ano e primeiro semestre que terminou a 30 de Junho de 2009.

Receitas – Segundo Trimestre 2009
  • As receitas de software e de serviços relacionados com software U.S. GAAP foram de €1.95 mil milhões (2008: €2.06 mil milhões), o que representa um decréscimo de 5%. As receitas de software e de serviços relacionados com software Non-GAAP foram de €1.95 mil milhões (2008: €2.11 mil milhões), representando um decréscimo de 8% (10% a uma taxa de câmbio constante).
  • As receitas totais U.S. GAAP foram de €2.58 mil milhões (2008: €2.86 mil milhões), o que representa uma diminuição de 10%. As receitas totais Non-GAAP foram de €2.58 mil milhões (2008: €2.91 mil milhões), o que representa uma descida de 11% (14% a uma taxa de câmbio constante).
  • As receitas de software U.S. GAAP foram de €543 milhões (2008: €898 milhões), o que representa um decréscimo de 40% (40% a uma taxa de câmbio constante). Esta diminuição resulta do difícil ambiente operacional que se vive em todo o mundo com a recessão económica e a dura comparação com o segundo trimestre de 2008, que ainda não tinha sido atingido pela crise económica que perturbou os mercados internacionais no terceiro trimestre de 2008.

Lucros – Segundo Trimestre 2009
  • Os resultados operacionais U.S. GAAP foram de €647 milhões (2008: €593 milhões), o que representa um crescimento de 9%. Os resultados operacionais Non-GAAP foram de €714 milhões (2008: €711 milhões), constante de ano para ano (um decréscimo de 2% a uma taxa de câmbio constante). Os resultados operacionais U.S. GAAP e Non-GAAP foram influenciados negativamente devido aos encargos, na ordem dos €5 milhões, da reestruturação previamente anunciada sobre a redução da força de trabalho, e que é esperada que se situe entre os €200 milhões em 2009.
  • A margem operacional U.S. GAAP foi de 25.1% (2008: 20.7%), o que representou um crescimento de 4.4 pontos percentuais. A margem operacional Non-GAAP foi de 27.7% (2008: 24.4%), ou 27.9% a uma taxa de câmbio constante, o que representa um crescimento de 3.3 pontos percentuais (3.5 pontos percentuais uma taxa de câmbio constante). Os €5 milhões em encargos de reestruturação tiveram um impacto negativo na margem operacional U.S. GAAP e Non-GAAP de 0.2 pontos percentuais.
  • Os resultados de operações contínuas U.S. GAAP foram de €431 milhões (2008: €411 milhões), um crescimento de 5%. Os resultados de operações contínuas Non-GAAP foram de €482 milhões (2008: €497 milhões), o que representa um decréscimo de 3%. Os resultados de operações contínuas U.S. GAAP e Non-GAAP foram influenciados negativamente pelos €3 milhões utilizados na reestruturação da força de trabalho anteriormente anunciada.
  • Os ganhos por acção das operações continuadas U.S. GAAP foram €0.36 (2008: €0.34), o que representa um crescimento de 6%. Os ganhos por acção das operações continuadas Non-GAAP foram €0.41 (2008: €0.42), o que representa um decréscimo de 2%. Não houve qualquer impacto material nos ganhos por acção das operações U.S. GAAP e Non-GAAP associados às despesas resultantes da reestruturação anteriormente anunciada.
Os resultados operacionais Non-GAAP do segundo trimestre excluem as despesas relacionadas com aquisições, que totalizam €67 milhões (2008: €66 milhões), os resultados de operações continuadas Non-GAAP e os ganhos por acção de operações continuadas Non-GAAP excluem ainda as despesas relacionadas com aquisições, que totalizam €51 milhões (2008: €86 milhões).

“Apesar dos condicionalismos da actual conjuntura económica, a força do nosso modelo de negócio em conjunto com uma rigorosa disciplina de custos demonstrou uma vez mais um bom crescimento da nossa margem operacional,” afirma Werner Brandt, CFO da SAP. “Para os meses de 2009 que se aproximam, esperamos manter um controlo de custos apertado em todas as áreas da empresa.”

“Enquanto o ambiente operacional permanece difícil, a SAP está a começar a melhorar a sua visibilidade para a segunda metade do ano.”, afirma Léo Apotheker co-CEO da SAP.

“O nosso robusto modelo de negócio permite-nos continuar a inovar, o que acreditamos que é uma base fundamental para o crescimento no futuro. Estou muito entusiasmado com os novos produtos que estamos a disponibilizar aos nossos clientes, pois são soluções para uma maior clareza e eficiência nos negócios, o que acreditamos ser essencial num ambiente económico como o actual,” reforça Apotheker.

Cash Flow – Primeiro Semestre de 2009
  • O cash flow operacional foi de €1.83 mil milhões (2008: €1.37 mil milhões), o que representa um aumento de 34%. O free cash flow foi de €1.73 mil milhões (2008: €1.20 mil milhões), representando um aumento de 44%. O free cash flow foi 35% das receitas totais (2008: 23%). Até 30 de Junho de 2009, a SAP tinha um total de €3.44 mil milhões de activos líquidos (31 de Dezembro de 2008: €1,66 mil milhões), incluindo dinheiro em caixa, equivalentes de dinheiro, dinheiro restrito e investimentos de curto prazo.

Medidas de Contenção de Custos para 2009

Anteriormente, e de forma a adaptar a dimensão da empresa aos condicionalismos do mercado actual e ao impacto global da recessão económica, a SAP anunciou a redução da sua força de trabalho para um nível global de 48.500 postos de trabalho até ao final de 2009. A empresa estimou que a redução do número de postos de trabalho resultasse em encargos entre os €200 milhões e os €300 milhões em 2009. Actualmente, a SAP espera que os encargos totais de reestruturação em 2009 sejam de €200 milhões. Os encargos de reestruturação de €165 milhões registados no primeiro trimestre de 2009 cobrem uma redução de 2.800 posições.

Previsões

A SAP disponibilizou as seguintes previsões para o ano de 2009, com algumas mudanças às previsões anteriormente apresentadas a 29 de Abril de 2009, aquando da apresentação dos resultados do primeiro trimestre de 2009:

Quanto à margem operacional Non-GAAP em 2009, que exclui as receitas referentes à aquisição da Business Objects e custos relacionados com a aquisição, a empresa prevê situar-se entre os 25.5% e os 27.0% a uma taxa de câmbio constante. Esta margem inclui os custos de reestruturação de €200 milhões, resultantes da redução da força de trabalho e que terão negativamente um impacto na previsão da margem operacional Non-GAAP de aproximadamente 2 pontos percentuais. As previsões actualizadas para a margem operacional Non-GAAP baseiam-se na premissa de que as receitas de software e serviços relacionados com software Non-GAAP em 2009, que excluem as receitas referentes à aquisição da Business Objects, vão diminuir entre 4% e 6% a uma taxa de câmbio constante (2008: €8.623 mil milhões).

A empresa prevê uma taxa de impostos efectiva entre os 29.5% - 30.5% (de acordo com os lucros operacionais U.S. GAAP) para 2009 (2008: 30.0%).


Sobre a SAP
A SAP é o fornecedor líder mundial de software de gestão empresarial, que disponibiliza aplicações e serviços que permitem às organizações, de todas as dimensões e de todos os sectores de actividade, tornarem-se em negócios melhor geridos. Com mais de 86.000 clientes em mais de 120 países, a empresa está cotada em várias bolsas, incluindo a bolsa de Frankfurt e NYSE, com o símbolo “SAP”.


Use of Non-GAAP Financial Measures
This press release contains certain financial measures such as Non-GAAP revenues, Non-GAAP operating income, Non-GAAP operating margin, free cash flow, constant currency revenue and operating income measures, as well as U.S. Dollar based Non-GAAP revenue numbers. These measures are not prepared in accordance with U.S. GAAP and therefore are considered non-GAAP financial measures. SAP’s non-GAAP financial measures may not correspond to non-GAAP financial measures that other companies report. The non-GAAP financial measures that SAP reports should be considered as additional to, and not as a substitute for or superior to revenue, operating margin or SAP’s other measures of financial performance prepared in accordance with U.S. GAAP. See the financial section of this press release for additional information regarding the Non-GAAP measures included in this press release and for the reconciliations to the corresponding U.S. GAAP measures.