O DIRETÓRIO INDUSTRIAL
Contacte diretamente com as empresas

SAP anuncia resultados do Terceiro Trimestre de 2009

  • 03/11/2009, Lisboa

  • A SAP continua a demonstrar um forte crescimento das suas margens, apesar de uma diminuição nas receitas. A empresa consolida a sua margem operacional Non-GAAP em 2009
  • Empresa: SAP Portugal

 

A SAP AG anunciou hoje os resultados financeiros preliminares para o terceiro trimestre do ano e primeiros nove meses que terminaram a 30 de Setembro de 2009.

Receitas - Terceiro Trimestre 2009

  • As receitas de software e de serviços relacionados com software U.S. GAAP foram de €1.94 mil milhões (2008: €1.99 mil milhões), o que representa um decréscimo de 3%. As receitas de software e de serviços relacionados com software Non-GAAP foram de €1.94 mil milhões (2008: €2.04 mil milhões), representando um decréscimo de 5% (5% a uma taxa de câmbio constante).•·                    As receitas totais U.S. GAAP foram de €2.51 mil milhões (2008: €2.76 mil milhões), o que representa uma diminuição de 9%. As receitas totais Non-GAAP foram de €2.51 mil milhões (2008: €2.80 mil milhões), o que representa uma descida de 10% (10% a uma taxa de câmbio constante).•·                    As receitas de software U.S. GAAP foram de €525 milhões (2008: €763 milhões), o que representa um decréscimo de 31% (30% a uma taxa de câmbio constante).
Lucros - Terceiro Trimestre 2009
  • Os resultados operacionais U.S. GAAP foram de €606 milhões (2008: €614 milhões), o que representa uma diminuição de 1%. Os resultados operacionais Non-GAAP foram de €674 milhões (2008: €731 milhões), um decréscimo de 8% (7% a uma taxa de câmbio constante). Os resultados operacionais U.S. GAAP e Non-GAAP foram influenciados negativamente, na ordem dos €21 milhões, devido aos encargos da reestruturação previamente anunciada sobre a redução de postos de trabalho. No terceiro trimestre de 2009 o lucro operacional foi igualmente afectado por questões não recorrentes, em particular por despesas e proveitos de processos legais resultantes das reversões de provisões registadas nas contas para aquisição da Business Objects. O resultado líquido destes items não recorrentes foi um aumento do lucro operacional em €2 milhões de euros.
  • A margem operacional U.S. GAAP foi de 24.2% (2008: 22.2%), o que representou um crescimento de 2.0 pontos percentuais. A margem operacional Non-GAAP foi de 26.9% (2008: 26.1%), ou 27.2% a uma taxa de câmbio constante, o que representa um crescimento de 0.8 pontos percentuais (1.1 pontos percentuais numa taxa de câmbio constante). Os €21 milhões em encargos de reestruturação tiveram um impacto negativo na margem operacional U.S. GAAP e Non-GAAP de 0.8 pontos percentuais.
  • Os resultados de operações contínuas U.S. GAAP foram de €436 milhões (2008: €410 milhões), um crescimento de 6%. Os resultados de operações contínuas Non-GAAP foram de €488 milhões (2008: €497 milhões), o que representa um decréscimo de 2%. Os resultados de operações contínuas U.S. GAAP e Non-GAAP foram influenciados negativamente pelos €14 milhões, livres de impostos, utilizados na reestruturação da força de trabalho anteriormente anunciada. A taxa de impostos efectiva no terceiro trimestre foi de 21.0% (2008: 31.9%) e foi afectada por items não recorrentes relacionados com a aquisição que impactou positivamente a taxa de impostos do terceiro trimestre de 2009 em aproximadamente 11.7 pontos percentuais.
  • Os ganhos por acção U.S. GAAP das operações continuadas foram €0.37 (2008: €0.35), o que representa um crescimento de 6%. Os ganhos por acção Non-GAAP das operações continuadas foram €0.41 (2008: €0.41), constante ano após ano. Os custos da reestruturação, livres de impostos, impactaram negativamente os ganhos por acção, U.S. GAAP e Non-GAAP, em 0.01€.

Os resultados operacionais Non-GAAP do terceiro trimestre excluem as despesas relacionadas com aquisições, que totalizam €67 milhões (2008: €76 milhões), os resultados de operações continuadas Non-GAAP e os ganhos por acção de operações continuadas Non-GAAP excluem ainda as despesas relacionadas com aquisições, que totalizam €52 milhões (2008: €87 milhões, que incluem uma receita write-down diferida).

"Estamos satisfeitos por reportar outro trimestre com margens crescentes, apesar de um decréscimo nas receitas. Isto demonstra o contínuo sucesso na manutenção do apertado controlo de custos", afirma Werner Brandt, CFO da SAP. "Apesar de estarmos a notar sinais de estabilização no contexto geral, o mercado permanece difícil. As receitas de software e de serviços relacionados com software foram mais baixas do que esperávamos, sobretudo devido a um ambiente desafiante nos mercados emergentes e no Japão".

"Apesar do ambiente continuar adverso, estamos satisfeitos por ver progressos na evolução do nosso negócio de volume, resultante de negócios mais pequenos", explica Léo Apotheker, CEO da SAP. "Para além disso, estamos a negociar acordos multi-anuais, onde os clientes podem comprar e consumir software ao longo de muitos períodos, o que acreditamos que é uma transição positiva tanto para a SAP como para os nossos clientes. Beneficiamos de uma experiência de muitos anos ao facilitarmos a compra do nosso software desta forma, incluindo o sucesso que tivemos na assinatura multi-anual dos Global Enterprise Agreements com os nossos maiores clientes. Iniciámos agora esta abordagem com um grupo mais alargado de clientes. E, mais importante, as nossas soluções são construídas com base numa arquitectura flexível e modular, que nos permite adoptar facilmente este modelo".

Cash Flow -9 meses de 2009

  • O cash flow operacional das operações contínuas foi de €2.38 mil milhões (2008: €1.97 mil milhões), um aumento de 21%. O free cash flow foi de €2.21 mil milhões (2008: €1.73 mil milhões), representando um aumento de 28%. O free cash flow foi 29% das receitas totais (2008: 21%). Até 30 de Setembro de 2009, a SAP tinha uma liquidez total no Grupo de €3.04 mil milhões (31 de Dezembro de 2008: €1.66 mil milhões), incluindo dinheiro em caixa, equivalentes de dinheiro, dinheiro restrito e investimentos de curto prazo. A 30 de Setembro de 2009, a liquidez, definida como a liquidez total do grupo menos endividamento bancário, era de €925 milhões.

Medidas de Contenção de Custos para 2009

Anteriormente, e de forma a adaptar a dimensão da empresa aos condicionalismos do mercado actual e ao impacto global da recessão económica, a SAP anunciou a redução da sua força de trabalho para um nível global de 48.500 postos de trabalho até ao final de 2009 . A SAP espera que os encargos totais de reestruturação em 2009 sejam de €200 milhões. Para os primeiros nove meses de 2009, a empresa reportou, no resultado operacional, um custo de reestruturação de €186 milhões e reduziu aproximadamente 2.900 postos de trabalho.

Previsões

A SAP disponibilizou as seguintes previsões para o ano de 2009:Quanto à margem operacional Non-GAAP em 2009, que exclui as receitas referentes à aquisição da Business Objects e custos relacionados com a aquisição, a empresa prevê situar-se entre os 25.5% e os 27.0% a uma taxa de câmbio constante. Esta margem inclui os custos de reestruturação de €200 milhões, resultantes da redução da força de trabalho e que terão um impacto negativo na previsão da margem operacional Non-GAAP de aproximadamente 2 pontos percentuais. As previsões actualizadas para a margem operacional Non-GAAP baseiam-se na premissa de que as receitas de software e serviços relacionados com software Non-GAAP em 2009, que excluem as receitas referentes à aquisição da Business Objects, vão diminuir entre 6% e 8% a uma taxa de câmbio constante (2008: €8.623 mil milhões). A empresa actualizou a sua previsão para uma taxa de impostos efectiva entre os 27% e os 28% da taxa esperada anteriormente de 29.5% - 30.5% (de acordo com os lucros operacionais U.S. GAAP) para 2009 (2008: 30.0%).


Sobre a SAP

A SAP é o fornecedor líder mundial de software de gestão empresarial, que disponibiliza aplicações e serviços que permitem às organizações, de todas as dimensões e de todos os sectores de actividade, tornarem-se em negócios melhor geridos. Com mais de 92.000 clientes em mais de 120 países, a empresa está cotada em várias bolsas, incluindo a bolsa de Frankfurt e NYSE, com o símbolo "SAP".