O DIRETÓRIO INDUSTRIAL
Contacte diretamente com as empresas

SAP anuncia resultados do Primeiro Trimestre de 2009

  • 29/04/2009, Lisboa

  • A SAP continua a demonstrar um forte desempenho ao nível da margem operacional apesar da diminuição das receitas.
  • Empresa: SAP Portugal

 
A SAP AG anunciou hoje os resultados financeiros preliminares para o primeiro trimestre do ano, que terminou a 31 de Março de 2009.

Consulte a tabela anexa para ver os resultados financeiros do primeiro trimestre.

Receitas – Primeiro Trimestre 2009
  • As receitas de software e de serviços relacionados com software U.S. GAAP foram de €1.74 mil milhões (2008: €1.74 mil milhões), o que representa o mesmo valor de receitas em comparação com 2008. As receitas de software e de serviços relacionados com software Non-GAAP foram de €1.75 mil milhões (2008: €1.78 mil milhões), representando um decréscimo de 2% (4% com uma taxa de câmbio fixa) em comparação com 2008.
  • As receitas totais U.S. GAAP foram de €2.40 mil milhões (2008: €2.46 mil milhões), o que representa uma diminuição de 3%. As receitas totais Non-GAAP foram de €2.41 mil milhões (2008: €2.51 mil milhões), o que representa uma descida de 4% (6% com uma taxa de câmbio fixa).
  • As receitas de software U.S. GAAP foram de €418 milhões (2008: €622 milhões), o que representa um decréscimo de 33% (34% a uma taxa de câmbio constante). Esta diminuição resulta do difícil ambiente operacional que se vive em todo o mundo com a recessão económica e a dura comparação com o primeiro trimestre de 2008, que ainda não tinha sido atingido pela crise económica que irrompeu pelos mercados internacionais no terceiro trimestre de 2008. Aqui, se incluem também os efeitos resultantes da aquisição da Business Objects.
As receitas Non-GAAP do primeiro trimestre de 2009 não incluem os valores de €11 milhões da aquisição da Business Objects.

Lucros – Primeiro Trimestre 2009
  • Os resultados operacionais U.S. GAAP foram de €332 milhões (2008: €359 milhões), o que representa um decréscimo de 8% quando comparado com 2008. Os resultados operacionais Non-GAAP foram de €410 milhões (2008: €489 milhões), o que representa uma diminuição de 16% (17% a uma taxa de câmbio constante) quando comparado com 2008. Os resultados operacionais U.S. GAAP e Non-GAAP tiveram um impacto negativo devido aos encargos, na ordem dos €160 milhões, da reestruturação previamente anunciada sobre a redução da força de trabalho, e que é esperada que se situe entre os €200 milhões e os €300 milhões em 2009.
  • A margem operacional U.S. GAAP foi de 13,9% (2008: 14,6%), o que representou uma diminuição de 0.7 pontos percentuais. A margem operacional Non-GAAP foi de 17% (2008: 19,5%), ou 17,2% com uma taxa de câmbio fixa, o que representa um decréscimo de 2.5 pontos percentuais (2.3% a uma taxa de câmbio constante). Os €160 milhões em encargos de reestruturação tiveram um impacto negativo na margem operacional U.S. GAAP e Non-GAAP de 6,7% e de 6,6%, respectivamente.
  • Os resultados líquidos U.S. GAAP foram de €210 milhões (2008: €247 milhões), uma diminuição de 15%. Os resultados líquidos Non-GAAP foram de €267 milhões (2008: €345 milhões), o que representa um decréscimo de 23%. Os resultados líquidos foram influenciados negativamente pelos €160 milhões utilizados com a reestruturação anteriormente anunciada.
  • Os ganhos por acção U.S. GAAP das operações continuadas foram €0.18 (2008: €0.21), o que representa uma redução de 14% em comparação com 2008. Os ganhos por acção Non-GAAP foram €0.22 (2008: €0.29), o que representa um decréscimo de 24% quando comparado com 2008. Os €160 milhões utilizados na reestruturação tiveram um impacto negativo nos ganhos por acção U.S. GAAP e Non-GAAP de €0.09 e €0.10, respectivamente.
“Enquanto a visibilidade em torno das receitas de software permanecer limitada, continuaremos a tomar as medidas necessárias para proteger a nossa margem neste ambiente tão duro,” afirma Léo Apotheker co-CEO da SAP. “As medidas de controlo de custos que iniciámos em Outubro passado e que mantivémos no primeiro trimestre de 2009, tiveram os resultados esperados e estamos satisfeitos com o desempenho ao nível das margens. Continuaremos a agir segundo um rigoroso controlo de custos. A nossa capacidade para atingir um bom desempenho ao nível da margem neste ambiente económico, tendo especialmente em conta os encargos relativos à redução de postos de trabalho, deve-se à força e flexibilidade do nosso modelo de negócio.”

“Mais do que nunca, os nossos clientes precisam de transparência nos seus negócios, mas também de soluções que sejam rápidas de implementar e que proporcionem um rápido retorno do investimento”, reforçou Léo Apotheker e continuou “Estamos a fornecer os nossos clientes com as soluções SAP BusinessObjects e com a nova SAP Business Suite 7, no intuito de lhes darmos a capacidade e a rapidez de endereçarem os pontos críticos do seu negócio com as melhores práticas de indústria pré-configuradas com base numa arquitectura aberta e moderna. Neste difícil contexto, estamos a manter a liderança no mercado, porque temos, para organizações de qualquer dimensão, o portfolio de produto mais completo e profundo do mercado, assim como temos a capacidade de estar sempre a inovar. A SAP é uma empresa forte com um modelo de negócio robusto, uma força de trabalho irrepreensível e uma excelente base de clientes. Esperamos sair desta recessão ainda mais fortes, tal como aconteceu com a recessão ocorrida no início desta década.”

Cash Flow - Primeiro Trimestre 2009
  • O cash flow operacional foi de €1.39 mil milhões (2008: €1.07 mil milhões), um aumento de 30%. O free cash flow foi de €1.34 mil milhões (2008: €1.01 mil milhões), que representou um aumento de 33%. O free cash flow foi 56% das receitas totais (2008: 41%). Até 31 de Março de 2009, a SAP tinha um total de €2,95 mil milhões de activos líquidos (31 de Dezembro de 2008: €1,66 mil milhões), incluindo dinheiro em caixa e investimentos de curto prazo.

Ambiente de Negócio e Medidas de Contenção de Custos para 2009


A empresa espera que, em 2009, o ambiente que envolverá a sua operação de negócio se mantenha num desafio constante. Adicionalmente, o ano de 2009 não considerará os efeitos resultantes da aquisição da Business Objects, e, tal como aconteceu no primeiro trimestre de 2009, os resultados do segundo trimestre de 2009 serão de difícil comparação com os fortes resultados registados no segundo trimestre de 2008.

A SAP irá dar continuidade às medidas de contenção de custos iniciadas em Outubro de 2008 e tomará novos passos para a redução de despesas. A SAP irá manter um controlo apertado dos custos no que diz respeito a despesas variáveis, incluindo custos relacionados com terceiras partes e despesas de capital.

Adicionalmente, para adaptação da dimensão da empresa às actuais condições de mercado e ao vasto impacto da recessão global, a SAP, como já anunciado, tenciona reduzir a sua força de trabalho a nível global para os 48.500 postos de trabalho até ao final de 2009. Para atingir este objectivo, a SAP não substituirá saídas normais e voluntárias de colaboradores. A empresa estima que a redução do número de postos de trabalho resulte em encargos que situar-se-ão entre os €200 milhões e os €300 milhões em 2009. Os encargos de reestruturação de €160 milhões registados no primeiro trimestre de 2009 cobrem uma redução de 2.200 posições.


Previsões


A SAP disponibilizou as seguintes previsões para o ano de 2009:

À luz das actuais incertezas no ambiente económico e de negócio, a empresa decidiu não disponibilizar projecções específicas sobre as suas receitas de software e de serviços relacionados com software para o ano completo de 2009. Quanto à margem operacional Non-GAAP para 2009, que exclui as receitas referentes à aquisição da Business Objects e custos relacionados com a aquisição, a empresa prevê situar-se entre os 24.5% e os 25.5% a uma taxa de câmbio constante. Esta margem inclui custos de reestruturação entre os €200 milhões e os €300 milhões, resultantes da redução da força de trabalho e que terão negativamente um impacto na previsão da margem operacional Non-GAAP de aproximadamente 2 - 3 pontos percentuais. As previsões para a margem operacional Non-GAAP baseiam-se na premissa de que as receitas de software e serviços relacionados com software Non-GAAP em 2009, que excluem as receitas referentes à aquisição da Business Objects, vão manter-se nos seus valores ou diminuir 1% a uma taxa de câmbio constante (2008: €8.623 mil milhões).
A empresa prevê uma taxa efectiva de impostos entre os 29.5% - 30.5% (de acordo com os lucros operacionais U.S. GAAP) para 2009 (2008: 30.0%).


Sobre a SAP
A SAP é o fornecedor líder mundial de software de gestão empresarial, que disponibiliza aplicações e serviços que permitem às organizações, de todas as dimensões e de todos os sectores de actividade, tornarem-se em negócios melhor geridos. Com mais de 86.000 clientes em mais de 120 países, a empresa está cotada em várias bolsas, incluindo a bolsa de Frankfurt e NYSE, com o símbolo “SAP”.