O DIRETÓRIO INDUSTRIAL
Contacte diretamente com as empresas

Luís Simões participa em projeto de sustentabilidade promovido pelo BCSD Portugal

  • 20/06/2012, Loures

  • O projeto “Caldo Verde” surge no âmbito da participação da Luís Simões no programa Young Managers Team 2011 promovido pelo BCSD Portugal (Concelho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável).

 

Caldo Verde: a aposta na sustentabilidade

Luís Simões participa em projeto de sustentabilidade promovido pelo BCSD Portugal, no centro de formação da EDP, em Sacavém.

O projeto "Caldo Verde" surge no âmbito da participação da Luís Simões no programa Young Managers Team 2011 promovido pelo BCSD Portugal (Concelho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável).

O desafio lançado consistiu no desenvolvimento de um projeto no âmbito da "Biodiversidade e Serviços dos Ecossistemas" (BSE), tendo o grupo Caldo Verde criado um questionário e um jogo interativo on line, disponível em www.caldoverde.net. plataforma construída pela empresa Active Media.

Porquê "Caldo Verde"?

"Caldo" porque se trata de um conjunto heterogéneo de personalidades e de empresas representadas - Luís Simões, ANA, EDP D, EPAL, grupo Portucel Soporcel e REN. "Verde" porque a nossa sobrevivência enquanto indivíduos e empresas depende dos serviços que os ecossistemas nos proporcionam.

Mas, afinal, o que são os Serviços dos Ecossistemas, pensando na atividade da Luís Simões?

Num ano a Luís Simões percorre o equivalente a 3 voltas ao planeta terra. Ao longo desses 150 milhões de kms são libertadas mais de 152 mil toneladas de emissões poluentes que afetam a qualidade do ar. Um dos serviços que os ecossistemas asseguram é a regulação da qualidade do ar. Importa ainda referir que as características da viatura e o estilo de condução são determinantes para reduzir o impacto no ambiente, melhorar a eficiência da atividade LS e minimizar as ineficiências / custos envolvidos.

Este projeto teve como principal objetivo comunicar e demonstrar às áreas operacionais a importância dos Serviços dos Ecossistemas no negócio em que atuam, e em que medida, uma estratégia de atuação conjunta no território permite às empresas partilhar custos e benefícios.

O desafio é agora! Cabe a cada empresa "convidar" os seus stakeholders a participar na implementação de uma estratégia conjunta, e a cada um de nós tornar os processos que gere mais eficientes e sustentáveis.